21
mar

O PARADOXO DA FELICIDADE NAS EMPRESAS!

felicidade-e-so-questaoNo dia 20 de março comemora-se, em todo mundo, o dia internacional da Felicidade. Esta data foi instituída pela ONU que, inclusive, faz um rankiamento anual dos países, em relação a este quesito. Os relatórios apontados nesta pesquisa refletem uma demanda mundial para que a felicidade seja usada como critério nas políticas de governo. Segundo dados do relatório, essa noção mais ampla de bem-estar funciona melhor como indicador de desenvolvimento para além de meros parâmetros econômicos.

“Ser feliz é tudo que se quer”, já diziam Kleiton e Kledir, contudo, essa busca pela felicidade, inerente à condição humana, tem sido cada vez mais difícil. O conceito de felicidade adotado pelas pessoas tem se tornado mais exigente e efêmero, levando a uma ideia de que ser feliz é para poucos.  Pessoas que conseguem atribuir a felicidade a seu cotidiano são cada vez mais raras.

Atualmente, essa busca pela felicidade tem extrapolado o âmbito pessoal/existencial, passando  também a fazer parte de uma preocupação da alta direção das empresas, com a adoção de modelos de gestão alicerçados no resgate da felicidade das pessoas que dela fazem parte.

sobre-a-felicidade.htmlMesmo que as empresas não sejam responsáveis diretamente pela felicidade das pessoas, elas enxergam na possibilidade de contribuir para esta felicidade, a condição de impactar positivamente no aumento da produ...

14
mar

EMPRESAS TAMBÉM ADOECEM?

Pills and Drugs with Arrows Inside Person --- Image by © Images.com/Corbis

Quando pensamos em ambientes organizacionais consideramos que os mesmos são constituídos por pessoas, as quais se comportam e se manifestam de acordo com os estímulos que recebem. Podemos também, considerar que esses ambientes podem, de acordo com as circunstâncias e estímulos que recebem, interna e externamente, adoecer também?

Via de regra, costumamos atribuir os comportamentos patológicos somente às pessoas, deixando de considerar que o modelo de gestão adotado pela alta direção das empresas, em momentos de crise, pode e provavelmente deve estar desencadeando esses comportamentos.

Modelos de gestão que adotam uma postura de centralização, rigidez nos controles, desconfiança e excessivo planejamento, dão mostras claras que essas empresas estão desenvolvendo comportamentos adoecidos. Pelo fato de se sentir responsável por encontrar as saídas heroicas para a situação, a alta direção assume sozinha o fardo de garantir a sobrevivência/saúde do negócio, cultivando  esses comportamentos pouco saudáveis.

Empresas adoecidas não conseguem enxergar, aceitar  suas doenças e consequentemente, não conseguem resolver seus problemas. Ao contrário, cultivam os que já existem e desenvolvem outros, sempre mais tóxicos. Nesse caminho tendem a tornar-se menos transparentes e mais insensíveis, o que faz com que, muitas vezes, percam os melhores profissionais, que percebem o clima e não se permitem adoecer juntos.

Empresas assiminternet bully tem dificuldades em crescer e culpam as pessoas por isso.

Quando essas empresas resolvem buscar ajuda, necessitam contar com  profissionais de um cenário externo,...

7
mar

A VEZ E A VOZ DA MULHER!!!

Young business woman thinking of her plans

No mundo corporativo a presença da mulher tem sido marcada pela bipolaridade entre o que é previsível e o que é imprevisível na gestão. E quem melhor que a mulher para lidar com o imprevisível? Numa breve reflexão histórica e social percebemos o quanto as mulheres podem conviver com o inesperado e superá-lo. Todos nós conhecemos casos de superação onde mulheres, a despeito das dificuldades, se superam e vencem seus desafios.

Na maioria das empresas o que se percebe é que a presença feminina tem trazido uma contribuição relevante, que antes era desconhecida. É perceptível a maior capacidade das mulheres em trabalhar em equipe, por exemplo. Seu temperamento é mais adaptável, sua capacidade de ouvir é ampliada, são mais resistentes as adversidades, incorporam melhor os desafios e dedicam-se a eles, com maior afinco.

sandra foto preto no brancoÉ exatamente esse perfil feminino diferenciado e essa capacidade de adaptação que podem levar à inovação, à flexibilidade e à intuição para o âmbito das empresas, preparando-as para as novas exigências do mercado, pois o mundo corporativo está buscando cada vez mais, competências que a mulher desenvolveu, como resiliência ,detalhismo e criatividade, para que possam ser aplicadas, como diferenciais em todas as áreas da empresa.

A versatili...

29
fev

INVESTIR EM PESSOAS É A SAÍDA!

A flDSC02917exibilidade e a capacidade de adaptação a novos contextos tem sido o desafio principal, vivido pelas empresas, considerando a nova realidade de mercado.

No rol dos desafios as empresas também se deparam com a necessidade de manter seus colaboradores preparados, fortalecidos e motivados, para atravessarem e superarem esse momento.

Para garantir resultados efetivos, continuar investindo no desenvolvimento das equipes é fundamental, uma vez que a rapidez de adaptação às novas respostas, cada vez mais eficazes, depende de como essas pessoas estão sendo preparadas para agirem.

Uma das alternativas encontradas pelas empresas mais arrojadas e inovadoras, para a garantia da obtenção dDSC00068e resultados rápidos e consistentes, tem sido a prática da realização de treinamentos ao ar livre, levando em conta que a vivência empresarial, em contato direto com a natureza, estimula as pessoas a superarem seus limites e revelam espontaneamente habilidades como liderança, flexibilidade, proatividade, inovação, espírito de cooperação e disposição para trabalho em equipe.

22
fev

ASSERTIVIDADE: GARANTIA DE EMPREGABILIDADE!

A assertividade, capacidade de se posicionar da forma exata, no momento correto, é uma competência valorizada, principalmente entre os que ocupam função de liderança, em especial nesse momento pelo qual as empresas estão passando. Destacar-se-ão e terão empregabilidade os líderes que souberem desenvolver e utilizar esta competência.

ASSERTIVIDADE 1Mas, afinal, o que é ser  um líder assertivo no trabalho?

É a capacidade de se posicionar da forma exata, no momento correto, buscando não errar, ou pelo menos, errar menos.

Demonstra assertividade o líder que atua com foco, honestidade, coerência, clareza e objetividade. É contra rodeios e conversas improdutivas. Analisa de forma imparcial as situações, baseando-se em fatos e dados como sustentação de suas decisões. Por isso maturidade  profissional é fundamental.

Assertividade não implica autoritarismo, representa, apenas, saber dizer não de uma forma firme, buscando ser entendido sem ferir suscetibilidades. O líder assertivo é focado e determinado. Vai até o fim, se dando por satisfeito apenas quando um problema é encarado como desafio e solucionado definitivamente, evitando assim o retrabalho.

O líder assertivo deve saber responder a questionamentos, tomar decisões, estar disposto a pagar o preço por essas decisões, usar seu poder de autoridade  e, acima de tudo, ter equi...