felicidade-e-so-questaoNo dia 20 de março comemora-se, em todo mundo, o dia internacional da Felicidade. Esta data foi instituída pela ONU que, inclusive, faz um rankiamento anual dos países, em relação a este quesito. Os relatórios apontados nesta pesquisa refletem uma demanda mundial para que a felicidade seja usada como critério nas políticas de governo. Segundo dados do relatório, essa noção mais ampla de bem-estar funciona melhor como indicador de desenvolvimento para além de meros parâmetros econômicos.

“Ser feliz é tudo que se quer”, já diziam Kleiton e Kledir, contudo, essa busca pela felicidade, inerente à condição humana, tem sido cada vez mais difícil. O conceito de felicidade adotado pelas pessoas tem se tornado mais exigente e efêmero, levando a uma ideia de que ser feliz é para poucos.  Pessoas que conseguem atribuir a felicidade a seu cotidiano são cada vez mais raras.

Atualmente, essa busca pela felicidade tem extrapolado o âmbito pessoal/existencial, passando  também a fazer parte de uma preocupação da alta direção das empresas, com a adoção de modelos de gestão alicerçados no resgate da felicidade das pessoas que dela fazem parte.

sobre-a-felicidade.htmlMesmo que as empresas não sejam responsáveis diretamente pela felicidade das pessoas, elas enxergam na possibilidade de contribuir para esta felicidade, a condição de impactar positivamente no aumento da produtividade. Empresas que conseguem desenvolver propósitos convergentes com o bem-estar de suas equipes, resgatando nas pessoas o desejo em realizar, certamente sairão na frente e alcançarão resultados diferenciados. Esses resultados estão intimamente relacionados com o grau de satisfação de seus colaboradores.

Profissionais que tem compromisso com a busca pela realização tendem a adotar uma postura mais otimista e confiante diante dos desafios, buscando sempre focar no lado positivo das questões. Essa postura, se bem adotada, favorece o surgimento de um clima de trabalho mais leve e harmonioso, gerando comprometimento das pessoas com os resultados e cuidado com a manutenção desse clima.Imagem alterada não e destino JPEG

Felicidade e satisfação no trabalho tem que ser preocupação da liderança. A liderança que quer atingir seus objetivos tem que dar, em contrapartida,alguns facilitadores para a felicidade de seus colaboradores. Não basta acreditar que pagar um bom salário seja suficiente. As pessoas querem se sentir  desafiadas, respeitadas e bem acolhidas, para que possam trabalhar com dignidade e harmonia.

Líderes comprometidos com este modelo de gestão tendem a formar equipes mais coesas e saudáveis, que sabem se posicionar com confiança, onde seus membros se solidarizam uns com os outros e se apoiam nos momentos de dificuldade.

        Como sua empresa tem difundido a felicidade?

 

Carla Limongi

Sandra Faria

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário