Qualidade de vida é um conceito abrangente. Contudo, é na simplicidade do cotidiano que se encontra maneiras mais eficazes para conquistar uma vida plena e saudável. A base de tudo é ser feliz e gostar de você, e isso só será possível quando parar de fugir de si mesmo e encarar sua vida tal qual ela é.

O primeiro e mais importante ponto a se levar em consideração, e o mais complicado em muitos casos, é a busca da felicidade no ambiente de trabalho. Se, apesar de todos os esforços, isto continua impossível, a melhor saída talvez seja procurar uma outra empresa. Existe um limite prático em que devemos nos sacrificar em função do dinheiro. Quando o ultrapassamos colocamos em risco nossa saúde física e mental, evoluindo até mesmo para um quadro de estresse.

Uma pessoa que faz realmente o que gosta, seja trabalhando ou em seus momentos de lazer, terá condições de olhar o mundo com outros olhos, diferente de alguém que empurra suas horas e seus dias, tentando achar pequenos momentos ilusórios de prazer, enganando-se a cada dia.

Diante disso, corra o risco de se perguntar: como anda minha relação com o trabalho e com minha saúde física e mental? Será que estou entre a maioria das pessoas que vive numa correria tão grande que não tem tempo para pensar no bem-estar? Sua realidade atual corresponde ao que você sonhou e planejou, ou em algum momento você perdeu o controle e passou a ser escravo do tempo, do trabalho e de uma rotina estressante?

Nossas escolhas e atitudes interferem diretamente no nível de satisfação pessoal e profissional. Quanto mais próxima a realidade estiver das aspirações e ambições pessoais, maior será a qualidade de vida. Se você é um profissional de sucesso, consegue dedicar tempo às suas relações afetivas e sociais, está com boa saúde e em boa forma, parabéns, provavelmente você é uma pessoa realizada e feliz!

Mas, se passa a maior parte do tempo administrando e acumulando problemas, mal tem tempo de engolir um sanduíche frio, passa o dia em contato com o mundo, mas não lembra da última vez que jogou conversa fora com pessoas queridas, assistiu um bom filme só por prazer, caminhou descalço na grama verde, brincou com seus filhos sem se preocupar com o tempo, fez um elogio sincero ao seu companheiro(a), emocionou-se com  um por de sol, comeu pastel na feira, pode acreditar: a menos que este seja o seu sonho, sua qualidade de vida deve estar extremamente comprometida.

O estresse gerado pela angústia de viver pela metade só é amenizado e transformado quando se vive de verdade.  O certo é que ninguém é só trabalho, dinheiro, sucesso ou poder; tudo isso importa, mas essas coisas não devem ocupar todos os espaços.  O espaço do afeto só pode ser preenchido com afeto, o espaço para o lazer é só dele, nossa vida espiritual não existe se for esquecida.

A vida sem trabalho certamente seria vazia, porém, o trabalho não deve ser fonte de sofrimento ou nos privar de momentos especiais. É no trabalho ou em atividades relacionadas ao mesmo que passamos a maior parte de nossas vidas, por isso, devemos buscar atividades que nos permitam produzir e obter prazer, inovar, criar e buscar novos caminhos para fazer diferente aquilo que fazemos bem.

Num mundo que se diz civilizado e globalizado, nunca fomos tão individualistas e sem talento para o lazer, o prazer e para viver, como agora. Aprendemos a ser competentes, competitivos e produtivos, mas esquecemos de coisas simples, coisas básicas, porém fundamentais… Esquecemos que somos gente!

Carla Limongi

vempracontarh #metododeaprendizagemexperiencial#atendimentoonline #atendimentopresencial#mentoria#coaching

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário