Motivações e sentimentos têm um impacto direto na qualidade da nossa escuta. Aparentemente damos mais valor a mensagens que já sabemos, previamente, o queremos dela. Muitas vezes, a falta de interesse para nos envolvermos com determinado assunto é simplesmente uma questão de perceber que ele não atende às nossas necessidades atuais. Ou seja, só percebemos o que queremos perceber. Isso é verdade, principalmente quando tratamos da audição seletiva que estabelecemos com os conteúdos que ouvimos diariamente.

Ouvir é um processo contínuo de troca que exige de nós concentração e foco. Nossa capacidade de percepção é contínua, giratória.  Procuramos captar constantemente o ambiente de acordo com nossos interesses, ouvindo se alguma coisa de importante ou estimulante acontece.  Caso não percebamos nada, não nos sentimos motivados e, por consequência, a tendência é buscarmos por outros assuntos e fatos que estejam mais sintonizados com aquilo que queremos.

Existem sete mecanismos principais que podem nos favorecer para tornarmos nossa escuta mais efetiva. Vamos conhecê-los:

  1. Disponibilidade: Esteja disponível, de fato, para ouvir o outro, considerando o ponto de vista dele, estabelecendo uma relação empática e abrindo mão de seus preconceitos.
  2. Priorize o contato visual: não priorize sua escrita enquanto estiver ouvindo a outra pessoa. Dê mais atenção ao contato visual com o interlocutor. Essa postura por certo ampliará sua real compreensão do que está sendo dito. Se entender que é necessário realizar algum registro do que foi dito, faça-o após o diálogo.
  3. Valorização: Valorize todo interlocutor com quem interage. Via de regra, quanto mais o credenciamos, admiramos e respeitamos, mais aptos estaremos a nos interessarmos pelo que tem a dizer.
  4. Foco: Dirija seu foco de atenção para o assunto principal. Compreender a ideia central aumentará sua capacidade de retenção sobre o conteúdo abordado.
  5. Mente aberta: Identifique os aspectos positivos do que está sendo dito, transformando os que considera negativos em positivos. Aprenda a manter a mente aberta.
  6. Ler nas entrelinhas: Aprenda a fazer a leitura daquilo que não está sendo verbalizado, ou seja, gestos e expressões. Essa percepção enriquece a mensagem que está sendo transmitida.
  7. Evite distorções: não interrompa quem estiver falando. Estabeleça seu julgamento, avaliação ou decisão somente após ouvir atentamente, na totalidade, a mensagem que o outro está querendo transmitir.

Além desses citados quais outros você acrescentaria nesta lista?

O que você tem feito diariamente para praticar uma escuta genuína?

Carla Limongi

Sandra Faria

vempracontarh #metododeaprendizagemexperiencial#atendimentoonline #atendimentopresencial#mentoria#coaching

Compartilhe nas redes sociais
Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário